Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Game ensina educação financeira

Publicado: Terça, 15 de Outubro de 2019, 14h47 | Última atualização em Quinta, 17 de Outubro de 2019, 16h58 | Acessos: 333

Poupadin é produto do Programa de Incubação de Empresas da UFPA

Destinado para crianças de 6 a 11 anos, o jogo já teve mais de três mil downloads.
imagem sem descrição.

Por Nicole França Foto Acervo do Projeto

Manter as contas em dia e administrar as finanças nem sempre é uma tarefa fácil. No Brasil, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) estimou que, em janeiro de 2019, 62,08 milhões de consumidores estavam negativados. Só na Região Norte, os negativados eram 5,62 milhões. Em busca de soluções inovadoras para esse problema, os economistas Dayane Moura, Lenice Pereira, Lorena Campos e Manoel Lopes desenvolveram o jogo Poupadin e, mais tarde, criaram uma empresa de mesmo nome, incubada no Programa de Incubação de Empresas (PIEBT) da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Pará (Universitec).

“A sociedade brasileira tem um grave problema, que é o alto índice de inadimplência e endividamento da população. Um dos principais fatores que envolvem esse problema é a falta de educação financeira, que não é ensinada nas escolas, nem nos lares. Então, o nosso objetivo é criar ferramentas que possam facilitar o ensino da educação financeira, melhorando tanto o aprendizado quanto o ensino do uso sustentável do dinheiro, porque hoje falar nesse assunto, principalmente para uma criança, é muito difícil. Assim, pensamos em usar um jogo como metodologia para tornar isso mais fácil e divertido, para que a criança consiga se tornar um adulto consciente financeiramente”, explica Manoel Lopes.

A ideia para a criação do game surgiu dentro da Universidade e foi desenvolvida para o Desafio Inove+ de 2014, uma competição universitária de empreendedorismo organizada pela Universitec. “Nós já participávamos do Grupo de Educação Financeira da Amazônia (GEFAM) e percebemos as dificuldades que envolviam esse tema. Observamos que já existia material sobre o assunto para adultos, mas, para o público infantil, esse tipo de material ainda era deficitário e complicado. Então resolvemos criar um game para a educação financeira infantil, e o Poupadin foi o vencedor do Desafio Inove+ daquele ano”, expõe Lorena Campos.

Organização, orçamento, planejamento e poupança

No game Poupadin, são ensinadas as funções básicas de finanças pessoais, como organização, orçamento, planejamento de curto, médio e longo prazo e poupança. Tudo isso de maneira lúdica e divertida, de forma que o conhecimento seja repassado adequadamente. No jogo, as crianças são estimuladas a utilizar elementos de educação financeira para atingir objetivos. As tarefas que devem ser realizadas no jogo são divididas em educação, alimentação, saúde e conforto.

Segundo Manoel Lopes, a parte preferida das crianças dentro do game são os minijogos de educação. O preferido dos meninos é o jogo da matemática, enquanto o das meninas é o caça-palavras. O Poupadin é destinado para crianças de 6 a 11 anos, mas o game também faz sucesso entre os adolescentes. “Isso nos surpreendeu! O Poupadin não só chamou como também prendeu a atenção deles, e prender a atenção de adolescente não é uma tarefa muito fácil”, comemora Lorena Campos.

Atualmente, a empresa Poupadin já está na lista da revista Pequenas Empresas e Grandes Negócios como uma das sete startups mais bem vistas da Região Norte, que está fazendo sucesso com soluções tecnológicas. O game, disponível na plataforma do Google Play, já conta com mais de 3.000 downloads, segundo Manoel Lopes.

Mas os projetos para o Poupadin não param por aqui. Seus desenvolvedores já têm planos, começando pela criação de uma versão física do game. “Criamos um jogo de tabuleiro sensorial, divertido, e que permite a compreensão do conteúdo. A versão física foi lançada em agosto, durante o Desafio Inove+, justamente quando o Poupadin surgiu”, declara Manoel Lopes. Além disso, os desenvolvedores pretendem aplicar a metodologia do game sobre o ensino da educação financeira nas escolas e levar o jogo para outras regiões do País.

Ed.151 - Outubro e Novembro de 2019

Fim do conteúdo da página