Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

Pós-Graduação

Escrito por Rosyane Rodrigues | Publicado: Terça, 28 de Março de 2023, 18h03 | Última atualização em Terça, 04 de Julho de 2023, 14h30 | Acessos: 631

O melhor desempenho da história da UFPA

Por Iracilda Sampaio Foto Alexandre de Moraes

A pós-graduação da UFPA teve um crescimento expressivo nos últimos anos, passando de 41 programas de pós-graduação em 2009 a 102 programas em 2022. A Instituição oferta, atualmente, 96 cursos de mestrado e 48 cursos de doutorado. Desde 2010, o Sistema de Pós-Graduação já passou por três avaliações, uma trienal e duas quadrienais, e, em todas elas, houve uma melhoria substancial na qualidade dos cursos da UFPA, com importante mudança para melhores conceitos na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O bom desempenho dos programas nas avaliações tem sido fruto de grande investimento institucional, coordenado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, por meio de vários programas de financiamento interno para incremento das publicações científicas qualificadas, mobilidade internacional de docentes e discentes, manutenção de equipamentos de pesquisa, realização de eventos e apoio à Iniciação Científica, e de um programa de acompanhamento interno dos programas de pós-graduação com a participação de consultores externos.

É importante destacar que a melhoria dos conceitos dos programas também tem possibilitado a criação de novos cursos de doutorado, o que se traduz em um protagonismo na formação de recursos humanos qualificados na e para a região amazônica. Com isso, a UFPA já aparece, hoje, entre as 10 instituições brasileiras com maior porte na pós-graduação.

Nesta última quadrienal da Capes (2017-2020), a UFPA teve 100 programas de pós-graduação avaliados e obteve a melhor avaliação de todos os tempos. Sumarizando o resultado, temos que 12 programas subiram de 3 para 4 e submeterão propostas para a criação de novos doutorados, 20 programas passaram de 4 para 5, três novos programas subiram para 6, e, pela primeira vez na Amazônia, recebemos o conceito máximo, 7, para dois programas de pós-graduação acadêmicos: Geologia e Geoquímica (Instituto de Geociências) e Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (Núcleo de Altos Estudos Amazônicos). Convém destacar que a UFPA conta também com programas profissionais com o conceito máximo na Capes, o conceito 5. São eles: Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (Núcleo de Meio Ambiente), Docência em Educação em Ciências e Matemáticas (Instituto de Educação Matemática e Científica), Ensino de Biologia (Instituto de Ciências Biológicas), Ensino de Física (Instituto de Ciências Exatas e Naturais), Ensino de História (Campus de Ananindeua) e Matemática em Rede Nacional (ofertado nos campi de Belém, Abaetetuba, Bragança e Castanhal). Ao final, a Instituição teve 37 programas, dos 100 avaliados, que subiram de conceito, os quais ofertam 57 cursos. Um resultado realmente extraordinário.

Por outro lado, embora a Instituição se esforce sempre para obter os melhores indicadores, a última avaliação quadrienal foi muito impactada negativamente, tanto pela pandemia do novo coronavírus como pelas várias mudanças implementadas pela Capes durante todo o processo. A suspensão das atividades presenciais imposta pela pandemia resultou no atraso em experimentos e em defesas de mestrado e doutorado, além do adoecimento emocional de docentes e discentes, fatos que deixarão marcas pelos próximos anos ainda. E, com relação ao processo de avaliação em si, a Capes alterou bastante os parâmetros quantitativos e qualitativos das fichas ao longo do processo, o que dificultou a etapa de finalização dos relatórios. Não fossem essas intercorrências, a UFPA teria, certamente, alcançado resultados ainda melhores na quadrienal.

As perspectivas para 2023 são de muito trabalho e otimismo. Como resultado do bom desempenho obtido na última quadrienal, a Propesp mobilizou os programas que subiram do conceito 3 para o 4 e outros grupos de pesquisa já consolidados, e, como resultado desse esforço, foi submetido à Capes, ao final de 2022, um total de 23 Propostas para Cursos Novos (APCN), sendo oito de mestrado acadêmico, duas de mestrado profissional e 13 de doutorado (12 acadêmicos e um profissional). Destas, cinco propostas são de campi fora da sede (Altamira, Breves, Bragança, Cametá e Castanhal). A UFPA já conta, atualmente, com 17 programas de pós-graduação em sete campi e pretende ampliar a oferta multicampi de cursos de mestrado e doutorado.

Iracilda Sampaio É doutora em Ciências Biológicas (UFPA) e professora titular do Instituto de Estudos Costeiros da UFPA. Atualmente, é pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da instituição. E-mail: ira@ufpa.br

Beira do Rio edição 166

Fim do conteúdo da página