Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Página inicial > 2017 > 140 - Dezembro e Janeiro > Exclusivo Online > Arquitetura moderna na Amazônia
Início do conteúdo da página

Arquitetura moderna na Amazônia

Publicado: Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 17h27 | Última atualização em Terça, 12 de Dezembro de 2017, 16h14 | Acessos: 1824

Por Celma Chaves Pont Vidal Foto Alexandre de Moraes

O Seminário de Arquitetura Moderna na Amazônia, em sua 3a edição, apresenta-se como um espaço de divulgação e discussão sobre a arquitetura e a cidade moderna na Amazônia Legal, com as transformações observadas desde as primeiras décadas do século XX. Estrutura-se em formato de conferências, palestras, mesas temáticas, sessões de comunicações e apresentação de pôsteres, com o  objetivo de dar a conhecer o atual estado das pesquisas e estudos sobre o tema, na perspectiva de interação e trocas de conhecimentos entre as diversas instituições participantes. Constitui o primeiro fórum de discussão sobre a  realidade dos espaços modernos nas cidades da Amazônia brasileira.

A primeira edição do evento ocorreu em Manaus, em 2016; e a segunda, em Palmas, em 2017. Nesta terceira edição, que ocorrerá na Universidade Federal do Pará, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, entre os dias 20 e 23 de março de 2018, não só daremos continuidade aos temas concernentes ao conhecimento e ao reconhecimento de cidades, edifícios e de outras expressões do moderno na Amazônia, como também vamos nos aprofundar em um diálogo com universidades, órgãos, sociedade civil e com demais interessados na memória e na história das cidades da região.

O objetivo é estabelecer um intercâmbio dos conhecimentos produzidos sobre as experiências modernas tanto na escala do edifício como na escala da cidade, dando a conhecer, dessa forma, as pesquisas e os estudos desenvolvidos nas várias instituições da região ou em outros Estados e países, criando redes de conexões para trocas e debates sobre a Amazônia moderna e a relação desses espaços com a sua contemporaneidade. O evento pretende, também, contribuir para a valorização e o reconhecimento do patrimônio moderno, recuperando sua visibilidade, impulsionando ações de preservação e conservação, diante de uma realidade de abandono e desaparição de grande parte desse patrimônio.

A estruturação de uma rede de pesquisadores sobre a temática do evento, a divulgação e a expansão do conhecimento sobre as experiências modernas da Amazônia para todo território nacional serão respostas do seminário. Pretende-se, assim, contribuir com a disseminação desse conhecimento, por meio de publicação de livro com os artigos avaliados e selecionados pelo comitê científico, a ser realizada, se possível, ainda em 2018. 

Com base nas pesquisas sobre a natureza dos processos de modernização que se expressam no espaço amazônico, revelam-se técnicas e sistemas construtivos que podem auxiliar na compreensão dos processos locais vernáculos e sua recuperação na contemporaneidade. Esperam-se contribuições que repensem a trajetória desses processos de produção da arquitetura ocorridos na região, os quais vêm sendo estudados ora sob um viés ainda colonialista, ora sob um ufanismo desmedido e acrítico. A intenção é que, durante o evento, se possa gerar discussões que construam um discurso diferenciado sobre os processos internos, contribuindo, dessa forma, para a criação de categorias explicativas sobre a realidade regional. 


Mais informações: www.sama2018.com

Celma Chaves Pont Vidal – professora do PPGAU - Laboratório de Historiografia da Arquitetura e Cultura Arquitetônica - Atelier de Arquitetura, ITEC/UFPA.

Ed.140 - Dezembro e Janeiro de 2017 / 2018

Comentários  

0 #1 Paulo Antônio 15-12-2018 17:33
Eѕte é um tópico é perto ⅾe meu coração...
Saúde Օnde são seus dados de contacto no entanto?
Citar

Adicionar comentário

Todos os comentários estão sujeitos à aprovação prévia


Código de segurança
Atualizar

Fim do conteúdo da página